ingredientes para feijoada

Dicas para inovar na hora de preparar uma feijoada

A feijoada é um prato tradicional brasileiro e é bastante popular, apreciada pela maioria da população brasileira. Além do mais, a feijoada é a desculpa perfeita para reunir amigos e familiares aos sábados ou domingos.

Além de deliciosa, um bom buffet de feijoada não é tão difícil de ser feito, mas é necessário seguir um ritual. Olha só!

Origem da Feijoada

O tradicional prato brasileiro tem origem na herança dos colonizadores portugueses que, ao virem para o Brasil, costumavam saborear cozidos em uma base de feijão branco, linguiças e carnes variadas.

Mas em 1833 deu-se origem a feijoada brasileira e com ela a substituição do feijão branco pelo feijão preto, muito mais gostoso.

Desde então, a feijoada, que era “comida de ricos”, foi se popularizando até chegar a todas as pessoas e classes sociais.

Como fazer feijoada

Apesar de ser um prato relativamente fácil de ser preparado, nem todos conseguem acertar no preparo de uma boa feijoada.

Desse modo, é sempre útil algumas dicas de preparo que vão desde a escolha de seus ingredientes até o momento em que ela é posta à mesa.

Para fazer uma boa feijoada é necessário um ritual e tempo dedicado à sua preparação e algumas dicas são:

1- Coloque os feijões de molho

Hidratar os grãos é parte fundamental na hora de preparar a feijoada, e o tempo dessa hidratação também deve ser levado em consideração: coloque-os numa bacia com água por no mínimo 12 horas e troque a água três vezes durante este período.

2- Use ingredientes de boa qualidade

Provavelmente, isso é feito com frequência, pois ninguém costuma comprar ingredientes ruins, mas vale a pena frisar, pois ao escolher temperos e ingredientes que você conhece a procedência, faz com que a feijoada possa ficar ainda mais gostosa.

3- Dessalgue as carnes

Nessa etapa, é recomendado que você dessalgue a carne de um dia para o outro e de preferência, com água gelada.

Além do mais, troque a água com frequência, pois quanto mais tempo dessalgando a carne, menores as possibilidades de a feijoada ficar salgada em excesso.

4- Selecione boas carnes

Toda boa feijoada tem que ter carnes boas, então escolha boas peças de costela, carne seca, linguiça, além de outras que você queira usar.

5- Selecione os temperos

Qualquer prato necessita de temperos para deixar as receitas mais gostosas, portanto, com a feijoada não é diferente.

Uma dica é usar folhas de louro e tomilho e cozinhá-los juntos com o feijão.

6- Prepare a feijoada um dia antes

Se você fizer a feijoada com antecedência, nesse tempo em que ela fica “guardada”, os ingredientes vão “apurando” e isso faz com que o resultado final seja ainda mais saboroso na hora de comer.

7- Engrosse o caldo

Outro ponto que deixa a feijoada saborosa é quando o caldo está mais grosso. Como fazer isso?

Após o feijão e a carne estarem cozidos, deixe a panela no fogo baixo, sem a tampa e por 15 minutos. Pronto. O caldo engrossará.

feijao preto num cesto

8- Use uma panela de barro

Há quem diga que as comidas ficam mais gostosas quando feitas em panelas de barro, no caso da feijoada, fica mesmo.

Isso acontece porque ela acaba sendo cozida de forma uniforme e a panela de barro faz com que a feijoada fique pronta mais rápido.

Após seguir todas estas etapas, a feijoada estará pronta para ser servida com algum acompanhamento, de preferência: couve refogada, arroz-branco, fatias de laranja e um bom molho de pimenta.

Mas se você achou muito difícil preparar uma feijoada sozinho, nem tudo está perdido. Você pode contratar o serviço de buffet de feijoada, oferecido por empresas qualificadas. Não perca tempo e aproveite o clima de inverno para saborear este delicioso prato!

Alimentação Ao Viajar De Avião

Dicas E Cuidados Com A Alimentação Ao Viajar De Avião

Esta parece uma preocupação sem sentido, mas de fato não é. Problemas do trato intestinal estão na lista das maiores ocorrências médicas em todo o mundo, e é melhor se prevenir contra estas situações no mínimo desagradáveis.

Se você vai viajar, o tópico de alimentação deve estar na sua lista de itens a conferir, principalmente para quem viaja com crianças ou idosos, que podem ser ainda mais sensíveis. Já imaginou o quanto pode ser constrangedor enfrentar uma dor de barriga em pleno voo? Além do desconforto físico, isso pode causar mal-estar entre os demais passageiros. Se você quer evitar passar por uma situação assim, confira as nossas quatro dicas.

1 – Leve sempre algum lanchinho na bolsa

De vez em quando, a fome chega sem avisar, e é bom estar preparado. Para isso, tenha sempre um lanchinho rápido e prático na bolsa, como uma fruta, biscoitos e bolachas, barrinhas de cereais, nuts e sanduíches. Quando acompanhado de crianças, é sempre bom ter uma água ou suco também. Somente atente-se quanto as embalagens e demais restrições que possam haver junto à cia. aérea.

Essa é uma boa dica de economia, inclusive. Os preços das comidas, bebidas e sobremesas a bordo podem ser bem caros. Se você é daqueles que prefere economizar no voo para aproveitar depois, anote essa dica.

2 – Cuidado com as intolerâncias

Algumas pessoas possuem intolerância a determinados alimentos (como glúten, lactose ou crustáceos), e nem sempre dá para saber se há ou não a presença destes ingredientes nas comidas. Seja a bordo ou já no destino final, se você é intolerante, é sempre bom consultar um médico e verificar a possibilidade de ingerir algum medicamento que iniba o efeito nocivo dos agentes causadores da intolerância. Deste modo, você poderá aproveitar a viagem sem medo.

3 – Evite bebidas alcoólicas

Pode parecer uma boa ideia ingerir uma dose de bebida alcoólica antes de embarcar, para reduzir o estresse ou o medo da viagem, mas essa não é uma escolha assertiva. A desidratação causada pelo consumo deste tipo de bebida favorece a formação de coágulos sanguíneos, algo que já se está propenso durante voos longo em pessoas de risco.

4 – Fuja dos alimentos pesados ou gordurosos

Se eles já causam desconforto em terra, imagine nas alturas? Evitar esses alimentos irá te garantir um voo mais confortável, sem gases ou dores abdominais, diminuindo o risco das temidas diarreias. A dica vale tanto para a ida quanto para a volta e, principalmente, nos voos de longa duração.

Tomando os devidos cuidados, você estará garantindo uma viagem muito mais tranquila e confortável. No entanto, imprevistos podem ocorrer até ao mais prevenido dos homens, por isso, vale a pena investir em um seguro de saúde para viagem.

Com ele, você conta com o amparo e atendimento necessários a qualquer emergência, além de assistência médica e hospitalar e despesas farmacêuticas. O mesmo pode ser contratado tanto para viagens nacionais quanto internacionais e irá adicionar à sua bagagem proteção e segurança, na hora em que você mais precisar.

mesa decorada

3 opções de cardápio para comemorar a Páscoa em família

A Páscoa é uma linda celebração e especialmente quando as famílias são reunidas, é preciso caprichar no cardápio para que todos se sintam muito bem servidos e a celebração seja ainda melhor, com as deliciosas comidas sobre a mesa. Para te ajudar, selecionamos 3 opções de cardápio para comemorar a Páscoa em família.

Celebrando a Páscoa em família

Em um momento em que toda a família estará reunida, uma das opções para que essa seja uma bela e divertida celebração, é selecionar os pratos preferidos de algumas pessoas e quando possível, de todos os convidados.

Dessa forma, a pessoa irá se sentir muito mais acolhida e querida ao perceber que você se deu ao trabalho de pensar em fazer algo que ela realmente gosta de comer.

Mas para outros casos em que você quer inovar ou apenas deseja fazer uma outra opção de prato, vamos apresentar aqui três opções que podem ser do agrado de qualquer pessoa e ainda, que irá tornar essa uma celebração muito especial.

Filé mignon com batatas rústicas

Ingredientes

4 batatas médias

Azeite a gosto

Sal a gosto

1 ramo de alecrim

4 dentes de alho

4 cortes de filé mignon com 250 g cada um

Alho a gosto

Pimenta a gosto

Molho barbecue pronto

Modo de Preparo

Lave as batatas e corte em pedaços, leve para cozinhar em água fervente até ficar “al dente”. Depois, mergulhe-as em água fria;

Tempere com azeite e sal, adicione o alecrim e os dentes de alho e leve ao forno pré-aquecido a 180°C por dez minutos;

Para o filé mignon, tempere com o alho e pimenta e depois grelhe em fogo médio.

Para servir, você pode colocar as batatas enfileiradas no centro do prato, com o filé por cima e termine com o molho barbecue.

Se desejar, pode fazer um arroz à grega ou ainda um belo salpicão, para complementar o cardápio.

E claro que você não pode se esquecer da sobremesa, por mais que adultos e crianças ganhem ovos de chocolate, uma sobremesa é sempre bem-vinda e até mesmo, para fugir um pouco do chocolate, que estará em alta.

Buffet de churrasco

Nada como um bom churrasco com carnes deliciosas e de qualidade para celebrar em família essa data tão bela.

O buffet de churrasco é também uma excelente opção para você que vai oferecer

carne mal passada

 um belo almoço para os seus convidados durante a Páscoa.

Você pode contratar uma equipe especializada neste serviço, para proporcionar o melhor aos seus convidados e ainda, poder desfrutar da companhia das pessoas que você ama, sem ter que se preocupar com o bom andamento da cozinha.

 

Salmão com crosta crocante e molho de maracujá 

Ingredientes

4 filés de salmão

1 dente de alho picado

1 colher (sopa) de gengibre ralado

Sal e pimenta-do-reino branca a gosto

Crosta

2 colheres (sopa) de manteiga

1 xícara (chá) de amêndoas trituradas

2 colheres (sopa) de farinha de rosca

Molho

2 colheres (sopa) de manteiga

1/2 cebola picada

1 dente de alho picado

1 xícara (chá) de suco de maracujá concentrado

1 colher (chá) de maisena

Polpa de 1 maracujá

Sal e pimenta-do-reino branca a gosto

1/2 caixa de creme de leite (100g)

Modo de preparo

Quando começar a fazer o molho, leve uma panela ao fogo médio com a manteiga e frite a cebola e o alho.

Adicione o suco de maracujá com a maisena dissolvida, a polpa de maracujá, sal, pimenta e cozinhe, mexendo até engrossar. Quando perceber que chegou ao ponto correto, desligue e misture o creme de leite.

Tempere os filés de salmão com o alho, o gengibre, sal e pimenta.

Utilize uma forma forrada com papel-alumínio, coloque sobre cada filé uma camada da crosta reservada.

Cubra com papel-alumínio e leve ao forno médio, preaquecido, por 20 minutos.

Depois de retirar o papel alumínio, transfira para uma travessa e adicione o molho de maracujá.

 

Com essas receitas maravilhosas, você pode ter certeza de que todos os seus convidados vão se deliciar e aproveitar ao máximo esse momento de celebração único que é a Páscoa.

 

Receitas de Sorvete Artesanal Para Saborear no Verão

Quando o assunto é sorvete não importa se é sorvete tradicional, artesanal ou geladinho gourmet. Todos gostam dessa deliciosa sobremesa independente do formato! Pensando nisso separamos algumas receitas de sorvete artesanal para você aprender a fazer.

Receitas de sorvete

Você nunca é velho demais para tomar sorvete. Tudo bem se você ainda tiver uma queda pela colherada no cone que você comeu comendo. Nós conhecemos esse sentimento! Seja o badalado Hot Chocolate Sundae ou o retrô Banana Split, cavar a doçura açucarada traz de volta memórias do verão. Neste verão, delicie-se com um prazer de morrer e você concordará.

Então, de onde exatamente veio? Com Gelato na Itália, Ice Cream in America e Kulfi na Índia, a história dessas confecções congeladas é obscura. Alguns dizem que Marco Polo introduziu sorvete na Itália. Certas passagens bíblicas têm origem em bebidas geladas que foram apreciadas pelo rei Salomão.

Até Alexandre, o Grande da Grécia antiga, é conhecido por ter adorado bebidas geladas aromatizadas com mel ou vinho. Os romanos, por outro lado, começaram a preparar sorvetes quando o gelo era coletado e empilhado em “casas de gelo” (poços cobertos de palha).

Sorvete Vs. Sobremesa Congelada

Foi no século XVII que vimos uma mudança na forma como as sobremesas eram servidas e comidas. Foi quando os sorvetes foram inventados em Nápoles.

É durante esse tempo que as sobremesas congeladas se tornaram populares. Uma ótima dica e sugestão são as deliciosas receitas de sacolé gourmet. No entanto, o sorvete à base de leite é conhecido por ser uma invenção chinesa. Acredita-se que os imperadores da Dinastia Tang tenham sido os primeiros a comer “uma confeitaria congelada semelhante a leite”.

Foi feito usando búfala ou leite de vaca, farinha junto com cânfora que foi adicionado para dar sabor. A mistura foi vertida em tubos de metal e mantida em uma piscina de gelo até congelar.

Um estudo conduzido pelo Dr. Alan Hirsh, fundador da Smell & Taste Treatment and Research Foundation, identificou o que certos sabores de sorvete podem sugerir sobre personalidades individuais. Sua equipe descobriu alguns achados surpreendentes.

As pessoas que preferem o Rainbow Sherbet são mais pessimistas do que você imagina, apesar de seu gosto brilhante, e as que preferem o Mint Chocolate Chip tendem a ser mais argumentativas. Eles também descobriram que os que gostavam de baunilha eram mais propensos a serem impulsivos e idealistas, enquanto os chocólatras eram dramáticos e flertadores.

Os fãs de morango eram mais propensos a serem tolerantes e devotados, assim como os amantes de chocolate que tendem a ser mais generosos.

Nós concordamos, há um lugar em algum lugar do mundo para agradar a todos os gostos. Quando crianças, nós pulamos de alegria ao ver o vendedor de sorvetes, mas você sabe o que é melhor? Fazendo sorvete em casa!

Dicas para deixar seu sorvete caseiro bem gostoso

1. Ao adicionar misturas como baunilha, amêndoa, raspas de chocolate ou qualquer outra, certifique-se de fazê-lo apenas quando a massa esfriar e adicioná-las no final antes de bater.

2. Coloque a base do creme em um recipiente e coloque-o no freezer. Bata após cada duas ou três horas para remover os cristais de gelo até congelados.

3. Você também pode cobri-lo com película aderente para evitar a formação de cristais de gelo.

4. Use recipientes planos e rasos para congelar o sorvete que promove a consistência.

5. Certifique-se de que a massa de sorvete esteja fria. Não tenha pressa em colocá-lo no freezer. Resfrie na geladeira por pelo menos uma hora antes de congelá-lo.

Nós trazemos-lhe as mais suaves e mais cremosas misturas que podem ser feitas direito em sua cozinha. Sem ingredientes extravagantes, mas todos os sabores ricos e cremosos. E a melhor parte é que você pode fazer cada um deles sem uma máquina de sorvete. Ufa!

1. Sorvete de Chocolate

Um dos sabores mais amorosos, você nunca imaginaria que o sorvete de chocolate é tão fácil de fazer. Esta receita simples vai fazer você repensar a banheira comprada na loja.

2. Gelado Masala Chai

Fusão é o sabor da temporada. Experimente este gelado inventivo infundido com o sabor rústico, se o chá masala.

3. Sorvete de Chocolate Vegano

Uma versão livre de leite do seu sorvete de chocolate favorito, esta receita usa amêndoas e banana para replicar a textura cremosa.

4. Sorvete de Manga

Rico e cremoso, este é feito com a bondade de polpa de manga e leite. Um adorável prazer sazonal.

5. Gelado de coco e melancia com molho de papaia

Um misto de três sabores distintos, este sorvete vai deixar você encantado. Uma maneira certa de impressionar amigos e familiares.

6. Sorvete de Baunilha

O clássico sorvete com sabor de baunilha é certo para torná-lo nostálgico. Seja criativo com coberturas de sua escolha e crie uma sobremesa perfeita.

7. Sorvete de damasco

Aprecie o sabor dos damascos como nunca antes com estas colheres cremosas. Polvilhe bombons de amêndoa por cima e veja a mágica se desdobrar!

8. Thandai Ice Cream

Um sorvete suave e cremoso, com os sabores de amêndoas, água de rosas, sementes de melão e cardamomo. Thandai sorvete é uma sobremesa celestial para servir no próximo jantar!

Água na boca muito? Por que esperar para sair no calor escaldante quando você pode fazer alguns sorvetes saborosos surpreendentemente saudáveis ​​em casa?

Low Carb vs Cetogênica: veja a diferença

Você está cometendo um erro crítico quando se trata de cetose? Eu tenho sido extremamente culpado disso no passado.

Um dos maiores erros para as pessoas que tentam melhorar sua saúde é o equívoco de que uma dieta baixa em carboidratos equivale a uma dieta cetogênica. Infelizmente, este não é o caso e pode estar a matar os seus esforços para obter todos os benefícios de saúde que procura.

Existem algumas diferenças críticas no que as pessoas pensam que é uma dieta com baixo teor de gordura e que é uma dieta cetogênica.

Carboidrato alto não significa diabético. Assim como o baixo carboidrato não significa cetogênico.

Se você não é super baixo com o que é cetose, é simplesmente um estado metabólico de usar gorduras de energia. Isso oferece muitos benefícios que podemos obter mais tarde, mas, para resumir, há vários benefícios que você perderá se estiver simplesmente com “baixo teor de carboidratos” e não definitivamente em cetose.

Sua dieta baixa em carboidratos pode ser bastante brutal se não for uma dieta cetogênica. Como prova, esta é uma conversa enlouquecedora que borbulha cada vez mais, já que eu não calar a boca sobre dietas cetogênicas:

Pessoa: “Sim, eu tentei cetose e foi uma droga, me senti péssimo. Não funciona para mim.

Eu: “Hmm, isso é estranho, você verificou seus níveis de cetona?”

Pessoa: “Não. Mas eu estava com pouco carboidrato. Cetose não é para mim. É uma merda.

Eu: “Bem … baixo carboidrato não significa que você está queimando gorduras e utilizando cetonas, então seu corpo ainda estava provavelmente tentando usar carboidratos como combustível, mas você não tinha o suficiente comendo carboidratos, e é por isso que foi sugado .

Pessoa: “Não estou acompanhando. Cetose é uma droga. E você também.”

Essa pessoa tinha pouco carboidrato, não era cetona. Há uma enorme diferença. Por quê? Tempo para algumas definições:

Low-carb: comendo um número arbitrariamente “baixo” de carboidratos, ou simplesmente evitando os carboidratos.
Cetose: um estado metabólico de uso da decomposição de ácidos graxos em cetonas, que seu corpo utilizará principalmente como energia.

Então comer baixo carboidrato é escolhas alimentares aleatórias que você faz, enquanto a cetose é um estado de metabolismo.

Então, por que é apenas baixo carboidrato ruim? Se você tem pouco carboidrato e não cetona, pode experimentar alguns desses efeitos colaterais muito divertidos:

  • Baixa energia e fadiga
  • Irritabilidade e alterações de humor
  • Interrupções hormonais
  • Dores de fome
  • Ganho de peso
  • Perdas de desempenho físico
  • Painel de laboratório bagunçado
  • e mais!

Quando você não está em estado de cetose, seu corpo está usando a quebra de carboidrato (ou proteínas) para criar glicose e usá-lo como fonte de energia primária.

No entanto, a mudança da queima de carboidratos para energia, para a queima de gorduras para energia, não acontece automaticamente quando se usa “low-carb”. Isso significa que seu corpo está pedindo combustível que você não está dando. Não é bom.

Se você ainda está usando carboidratos como combustível, mas não está comendo carboidratos e não fornece combustível ao seu corpo, você estará tendo um dia ruim.

Mas por que não é bom o suficiente apenas comer carboidratos baixos? Ainda bem que você perguntou. Mudar de queima de carboidratos para energia para queimar gordura para energia é um processo diferente para todos e não é tão simples quanto limitar os carboidratos.

Aqui estão três razões principais pelas quais as pessoas que comem uma dieta “baixa em carboidratos” geral podem se sentir terríveis, não entrar em cetose e escrevê-lo como algo que não funciona para eles:

1: O Nível de Carboidrato ainda Está Muito Alto

Todos respondem a diferentes níveis de carboidratos, gorduras e proteínas de maneira diferente. Não é suficiente apenas comer o que você acha que é uma quantidade baixa de carboidratos. Seu histórico metabólico, atividades diárias ou qualquer outro fator pode significar que você só pode tolerar 25 gramas de carboidratos por dia antes de ser expulso da cetose, enquanto outra pessoa pode tolerar até 100 gramas de carboidratos por dia.

A única maneira que você pode dizer se você está comendo muito ou muito pouco carboidratos é testar seus níveis de cetona. Se você não sabe, escrevi um artigo intitulado Como testar seus níveis de cetona.

Se você está limitando menos de 20 gramas de carboidratos, testando seus níveis de cetona e ainda não está em cetose, passe para o próximo problema.

2: A Quantidade de Calorias Consumidas é Muito Baixa

Se você não está comendo comida suficiente, seu corpo vai entrar em um modo de fome e não será super econômico em queimar qualquer tipo de energia. Isso acontece muitas vezes porque as pessoas acham que podem apenas remover carboidratos e não substituí-la por nada. Isso é um grande erro.

Você terá uma energia super baixa, problemas hormonais e, potencialmente, engordará com uma dieta de baixa caloria, em comparação com uma que esteja mais próxima de suas necessidades metabólicas.

Certifique-se de que você está recebendo uma quantidade adequada de calorias para o seu tamanho corporal e sob a forma de gordura. Use qualquer calculadora arbitrária on-line para determinar uma quantidade aproximada, mas para a maioria das pessoas isso será entre 2000-2800 calorias.

Se você não sabe o quanto está ganhando em um dia, então, por alguns dias, obtenha uma linha de base usando um aplicativo como o MyFitnessPal para rastrear tudo e ver onde você está.

Verifique os seus níveis e sintomas de cetona, veja onde você estáe se você ainda estiver lutando depois de aumentar as calorias, passe para o próximo item.

3: A Quantidade de Proteína é Muito Alta ou Muito Baixa

A proteína pode se transformar em carboidratos através de um processo metabólico chamado gliconeogênese (fazendo novos carboidratos) e fará em pessoas em diferentes graus. A transformação de proteína em carboidratos significa que você não está em cetose.

No entanto, esta é geralmente uma declaração exagerada que só acontece nos casos extremos quando você está bebendo muitos shakes de proteína líquida.

Este é um grande erro que eu estava cometendo. Mesmo que eu estivesse comendo cerca de 20g de carboidratos e assumindo que eu estava em cetose, eu não estava.

Eu acabei puxando o consumo de proteína de cerca de 180g por dia para cerca de 120g por dia e removendo toda a proteína líquida que eu estava consumindo. Qualquer coisa acima de 120g com proteínas líquidas e estou sem cetose. Uma vez que puxei a entrada e encontrei este ponto doce, foi como se as luzes se acendessem. Energia disparou.

Eu pensei que comer essa quantidade de proteína me deixaria um garotinho ressequido e emaciado, mas essa é uma crença que eu mantive por anos de ser batida na cabeça com jarros de proteína em pó e ciência dos irmãos. Acontece que você (ou pelo menos eu) não precisa de tanta proteína como se pensava. No entanto, comer muito poucas gramas de proteína também não é inteligente.

Desde comer sobre a quantidade de proteína, trabalhando um pouco menos, e sendo super rigoroso em uma dieta cetogênica, eu realmente ganhei massa de tecido magro. Isso também aconteceu depois do meu jejum de quatro dias, que acabou com outra crença minha de que você morreria e perderia músculos se não comesse proteína a cada 12,4 minutos.

Se nenhuma dessas modificações funcionar para você, confira meu artigo sobre os maiores erros de cetose que as pessoas estão cometendo. Se você ainda estiver com problemas, verifique com seu médico sobre outros problemas que poderiam estar ocorrendo.

Uma dieta cetogênica não é uma dieta de baixa energia. É um estado metabólico humano normal que usamos por muitos milhares de anos. Você nasceu em um estado de cetose. Você não deveria querer morrer quando você é cético.

Uma dieta cetogênica é definitivamente uma dieta pobre em carboidratos e rica em gordura. Mas uma dieta baixa em carboidratos e gorduras nem sempre é uma dieta cetogênica.

Cetose não é uma ideia. Isso não é como “paleo”, onde você come coisas que você acha que os homens das cavernas comem e então você está bem. A cetose é literalmente um estado metabólico mensurável.

Você não pode simplesmente presumir que está com cetose. É muito específico para cada pessoa. Certifique-se de que você está acompanhando e testando antes e descole quando tiver uma redução nos níveis de cetona.

O que são superalimentos? Como eles beneficiam sua saúde?

A definição de Superalimentos é um alimento rico em nutrientes, considerado especialmente benéfico para a saúde e o bem-estar. O que isso significa e como eles nos beneficiam especificamente?

Navegue pela internet e você encontrará todos os prós e contras do termo “Superfood”. Dependendo de que lado do argumento você está, dependerá de qual seria sua definição para Superfood.

Não existe um termo médico verdadeiro para Superfood na comunidade alopática, no entanto, na comunidade holística, é definido como “Superfoods são geralmente ricos em fitoquímicos, que são produtos químicos que são conhecidos por terem propriedades de combate a doenças”.

Ambos os lados, concordando ou não com o termo “Superalimentos”, acreditam que certos alimentos são muito mais nutritivos que outros alimentos. Não há como negar que reduzem o risco de doenças crônicas porque protegem nossas células de danos. Superalimentos são potências que possuem grandes quantidades de polifenóis, antioxidantes, minerais e vitaminas.

Superalimentos são altos na escala ORAC

ORAC, sigla em inglês para Oxygen Radical Absorbance Capacity, mede a capacidade dos alimentos de eliminar os radicais livres. Os radicais livres são moléculas instáveis ​​que podem causar danos ao seu corpo no nível celular.

O dano à célula é causado por radicais livres que têm sido implicados no desenvolvimento de várias doenças e distúrbios, incluindo degeneração macular, doença cardiovascular, trombose, asma, comprometimento do sistema imunológico, aterosclerose, doença de Alzheimer, diabetes e artrite reumatóide. .

Quais são esses alimentos? Como você se encaixa no seu plano diário de nutrição?

Você ficará surpreso ao descobrir que a maioria desses alimentos já faz parte de sua ingestão de alimentos, se você gravitar longe de alimentos processados ​​e seguir um estilo de vida saudável (que inclui alimentos integrais).

Muitos dos alimentos altamente nutritivos e densos são comuns e podem ser facilmente adicionados ao seu plano diário de nutrição, enquanto outros são mais exóticos, mas certamente valem a pena serem obtidos.

Aqui está uma lista de alguns Superfoods comuns que podem ser colocados em sua dieta regularmente.

Turquia: Turquia sem pele tem cerca de sete gramas de proteína por onça e é rica em vitaminas do complexo B, zinco e selênio. Também tem um perfil completo de aminoácidos e muito poucas gorduras saturadas.

Nozes: amêndoas, nozes de macadâmia, avelãs e pecans são considerados superalimentos saudáveis ​​para o coração. A American Heart Association recomenda a ingestão de quatro porções de nozes sem sal, cruas ou secas, por semana.

Uma porção de nozes é 1,5 onças de nozes inteiras ou 2 colheres de sopa de uma manteiga de amendoim. As nozes são boas fontes de proteína, especialmente para vegans e vegetarianos.

Eles também são uma fonte limpa de gorduras poliinsaturadas e monoinsaturadas quando ingeridas com moderação.

Cacau: Rico e delicioso, contém mais de 300 nutrientes essenciais, incluindo proteínas, gorduras, vitaminas do complexo B e minerais, incluindo cálcio, enxofre, magnésio, fósforo, ferro e zinco. O cacau é o alimento mais rico em antioxidantes do mundo.

Os antioxidantes presentes no cacau são os flavonóides, incluindo a antocianidina. Estes flavonóides estão intimamente envolvidos na prevenção de danos causados ​​pelos radicais livres e também têm um papel importante no reforço da proteção do colágeno, o que significa que nos protege do câncer e tem benefícios antienvelhecimento.

Salmão: Baixo teor de gordura saturada e rico em ácidos graxos ômega-3; O salmão desempenha um papel vital na saúde do coração (porque reduz os triglicerídeos e diminui o risco de batimentos cardíacos anormais).

O salmão também é rico em minerais essenciais, como ferro, cálcio, selênio, fósforo e vitaminas A, B e D. A American Heart Association recomenda a ingestão de pelo menos duas porções de peixe por semana.

Amoras | Mirtilos | Framboesas pretas | Framboesas Vermelhas | Morangos: Bagas contêm alguns dos mais altos níveis de antioxidantes de qualquer fruta. Pigmentos de cor azul, roxo e vermelho nas bagas são poderosos antioxidantes chamados antocianinas.

Esses antioxidantes neutralizam os radicais livres e as moléculas de oxigênio instáveis, que danificam as células e são uma das principais causas de doenças e envelhecimento. Eles também contêm catequinas que são flavonóis que suportam o sistema de defesa antioxidante.

A American Heart Association recomenda cerca de 4,5 xícaras ou nove porções de frutas e vegetais por dia.

Couve: Kale é uma excelente fonte de vitamina B6, fibra dietética (5 gramas / xícara), cálcio, potássio, vitamina E, vitamina B2, ferro, magnésio, vitamina B1, ácidos graxos ômega-3 fósforo, folato, niacina e até proteína .

Kale Curly é uma potência rica em nutrientes repleta de antioxidantes como vitamina C, beta-caroteno, kaempferol e quercetina. Os pesquisadores agora podem identificar mais de 45 tipos de flavonóides em couve.

Kaempferol e quercetina no topo da lista, estes flavonóides têm benefícios antioxidantes e anti-inflamatórios que lhe dão um papel importante na dieta para evitar inflamação crônica e estresse oxidativo. Os especialistas recomendam comer 3/4 xícara de vegetais crucíferos diariamente ou aproximadamente 5 xícaras por semana.

Abóbora: A abóbora é baixa em calorias com apenas 15 calorias por 1/2 xícara, e é rica em fibras, zinco, vitamina C e é cheia de ferro. É rico em beta-caroteno, luteína e zeaxantina, que ajudam a prevenir a formação de cataratas e reduzem o risco de degeneração macular.

As sementes de abóbora são uma fonte incrível de proteínas e fibras, ferro, magnésio, fósforo, potássio, zinco, cobre e manganês.

TORTA DE ABÓBORA SMOOTHIE

INGREDIENTES

  • 1 xícara de abóbora enlatada orgânica
  • 3 datas Pitted
  • 2 colheres de sopa de tahine orgânico
  • 1 colher de sopa de linhaça moída
  • 1 colher de sopa de sementes de Chia
  • 1 colher de chá de torta de abóbora
  • 1 ½ xícaras de leite de coco ou creme de coco para um batido mais rico
  • 2 colheres de sopa de amêndoas picadas
  • 1 xícara de chá de couve orgânica
  • 1 colher de chá de chlorella {opcional}
  • 1 xícara de gelo

INSTRUÇÕES

Combine todos os ingredientes no liquidificador. Bata até ficar homogêneo e sirva imediatamente.

Quer você concorde com o termo Superfood ou não, não há como negar que esses e muitos outros “superalimentos” são alimentos integrais extremamente nutritivos, oferecendo uma ampla gama de micronutrientes essenciais que precisamos para que nossos corpos funcionem sem problemas e permaneçam livres de doenças.

Eles também são cheios de antioxidantes, sulforaphanes e gorduras anti-inflamatórias saudáveis ​​que tornam esses alimentos muito mais super.